BCN (Bradesco) contrata empresa Fity para avaliar crianças dos núcleos de formação

O BCN (Banco de Crédito Nacional) foi incorporado ao Banco Bradesco e uma das condições colocadas na negociação é que o projeto desenvolvido em Osasco, com os núcleos de formação em vôlei e basquete, seja mantido pelo Bradesco.

São mais de 1500 crianças atendidas em uma parceria que envolvia a prefeitura de Osasco e o BCN e que a partir de agora será dada sequência com o Bradesco. A ideia é manter a conexão entre os núcleos de formação e as categorias de base (federadas) tanto do vôlei quanto do basquete.

Para monitorar o desenvolvimento corporal e físico das crianças dos núcleos o Bradesco fez uma parceria com a empresa Fity. As 1500 crianças serão avaliadas longitudinalmente (médio prazo) em relação a variáveis antropométricas como peso, estatura, dobras cutâneas e circunferências e varáveis físicas como agilidade, impulsão vertical, velocidade de descolamento curto e resistência aeróbia.

Os testes utilizados servirão de apoio para selecionar as crianças que tenham aptidão para serem selecionadas para as categorias de base do clube. Luiz Rigolin, proprietário da empresa Fity afirma que os testes não são um fim e si mesmos, mas que podem ajudar no processo de seleção de talentos. ” A detecção de talentos é uma tarefa muito difícil de se fazer, é um tema muito completo. Por isso, todas as informações disponíveis devem ser coletadas e analisadas com cuidado para que injustiças não sejam cometidas”.

Além de ser proprietário da empresa Fity, Rigolin também trabalha com preparador físico e foi contratado pela equipe principal do BCN. A ideia é que ele faça a preparação física da equipe adulta feminina e acompanhe a preparação física das categorias de base. A empresa Fity será responsável pela aplicação dos testes e pela análise dos dados das avaliações das crianças dos núcleos de formação.

Rolar para o topo